Compartilhe

#2: Water On The Road, Eddie Vedder. O show é pura poesia.

por

Queridos! Hoje vamos falar de um DVD que faz parte do TOP 5 da “Fantástica Coleção de Shows”: “Water On The Road”, Eddie Vedder. Sabem aqueles DVD’s já gastos de tanto rodar porque praticamente não saem do home? Esse é desses. E eu e o Lucas somos desses também: aqueles que assistem incessantemente um filme, um DVD, ou ouvem uma música de que gostam.

DVD bom de verdade combina com muitos momentos distintos, vira trilha sonora da vida. Foram muitas noites de queijos e vinhos e invenções na cozinha embaladas pelo Eddie, então posso dizer que ele tem lugar afetivo no coração e participou ativamente da nossa relação, rs.

eddie-tem-lugar-no-meu-coracao

Para quem nem imagina quem diabos é Eddie Vedder vai aí uma dica de ouro: Pearl Jam. Sim! É o vocalista desse clássico que pouca gente desconhece – o que muita gente não sabe é justamente que ele tem um projeto solo de tirar o fôlego em paralelo à banda desde 2007, quando lançou o seu primeiro CD.

Vamos conhecer melhor o projeto solo do Eddie Vedder?

Esse primeiro CD do projeto é a trilha sonora de um filme muito bom que é pura poesia: “Into The Wild (Na Natureza Selvagem)”. Os dois – filme e trilha – são feito feijão e arroz, casam tão perfeito que parece terem descido do céu direto para o nosso deleite (o filme é declaradamente o preferido do Lucas). Não é a toa que tanto filme quanto trilha levam o mesmo título, nos trazendo um som todo folk, rock e grunge e uma sensação de paz que não está escrita.

into-the-wild-filme

Já em 2011 o Eddie nos provou que, apesar do Pearl Jam ser muito bom, não precisa de ninguém para produzir música de qualidade. Ele é o sol, como na música “Hard Sun” do primeiro CD solo, tem sua luz própria – nada fraca.

Lançou nesse ano o disco “Ukelele Songs” e, para nossa alegria, o DVD “Water On The Road” do qual estamos falando. Ele tem a capacidade de nos deixar pensativos e cantar de peito aberto e sorriso na cara – bem estampado. Infelizmente o DVD, apesar de lançado juntamente com o segundo CD em 2011, foi gravado em 2008 no Warner Theatre, Washington DC – então o set list não conta com as músicas deste último.

Sobre o DVD: Water On The Road, Eddie Vedder

water-on-the-road-eddie-vedder

O show, assim como o filme, é pura poesia. Não tem como assistir sem suspirar pensando na vida e se enchendo de alegria – ainda mais se prestar atenção nas letras: profundas e poéticas, um show à parte.

O DVD começa com imagens do teatro onde foi gravado o show e vai passeando por um rio onde o Eddie faz Stand Up Paddle, pelas ruas de Washington até a entrada do público e lotação da casa. E o que se vê a seguir é um sol brilhando sozinho (como já afirmei mais acima), pois a gente consegue apreciar a sutileza do Eddie Vedder com apenas um violão e um banquinho – pura e simplesmente isso.

O Water On The Road passa por muitas músicas do Into The Wild além de outras que não são de autoria do cantor, como “Golden State” em parceria com a EJ Barnes (que é uma das minhas músicas preferidas de todos os tempos) cantando uma versão bem descontraída dessa música linda de John Doe.

“O ápice musical chega logo depois de “Golden State”, quando Eddie recebe no palco Lynn Finn com mais um violão e segunda voz espetacular para cantar “Society” – sem dúvida a melhor música do show para mim.” (Lucas)

Já em “Ukelele Interlude” e “Unthought Known” as imagens são de um lugar paradisíaco em meio a natureza (com animais, praia, sol e água de coco) – o refúgio que provavelmente inspirou a criação de muitas das músicas do cantor (sim, é a casa dele tadinho).

O DVD encerra com uma performance a três: Lynn Finn, EJ Barnes e Eddie cantam “Hard Sun”, primeiro single solo dele, com uma paixão que a gente se arrepia do sofá de casa – para ouvir no último volume.

—-

Um dos nossos maiores arrependimentos é não ter tido a coragem de gastar R$600 (isso mesmo) por cada ingresso para esse show em maio de 2014 aqui em São Paulo. Absurdo o preço, mas tenho a sensação de que teria sido o melhor show de todos os tempos (durou 3 horas, acreditem).

Como o tempo não volta, fazer o que? Assistir o DVD com uns petiscos, vinho, cerveja, qualquer coisa vai bem. É paz e reflexão na certa, é daqueles que a gente canta junto do começo ao fim. Como falei no início do post, já assistimos muito esse show e ele tem para mim um quê de nostalgia – de tempos em que a gente ainda se ajustava e dava pequenos passos para trilhar nossa jornada juntos. É trilha sonora da nossa história e quem sabe não entra para a sua também?

Fiquem ligados porque a gente vai falar mais sobre o filme, que merece um post todinho só para ele. Aguardem 😉

A fantástica coleção de shows

Vídeos retirados do canal Pearl Jam, Youtube.

2 Respostas
  • Rosicler Boeing
    novembro 24, 2016

    E é claro que eu não poderia deixar passar batido! Hoje, passarei minha tarde revisando um e-book em muito boa companhia, Eddie Vedder!

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *