Compartilhe

A origem do amor e a outra metade da laranja

por

Amados, vocês precisam ver isso, PRE-CI-SAM! Hoje vou mostrar à vocês uma das definições mais bonitas e profundas acerca do que é o amor.

Sim, finalmente achei uma “definição” (ou descrição do que pareça ser) plausível sobre ele – aquele que embola o estômago, tira o sono e ainda faz a gente se sentir mais completos (como pessoas e como completos idiotas também por vezes). Vai dizer que quando era adolescente você nunca pesquisou no Google: “O que é o amor?”. Há! Aposto que sim.

As respostas que intercorriam eram sempre quase tão idiotas quanto as minhas:

– “O amor é como a flor, que tem que ser regada todos os dias para sobreviver”

– ”O amor é muito mais que as palavras podem explicar”

Um mito sobre a origem do amor e a busca pela “metade da nossa laranja”

sobre-a-metade-da-laranja-e-o-amor

Foi aí que, um belo dia, um professor da faculdade passou um vídeo para a turma durante a aula. Não tenho certeza mas acredito que foi numa aula de Filosofia e acredito que entenderão a ligação.

O vídeo é o trecho do filme “Hedwig And The Angry Inch”. No trecho Hansel, protagonista do filme, canta uma música que foi produzida para o próprio sobre a origem do amor e almas gêmeas (a tal da metade da sua laranja), baseada no “Mito de Andrógino”.

Já sobre o filme, ele está na minha lista para as próximas sessões de pipoca em casa e aí prometo que conto à vocês se é tão bom quanto as críticas dizem: um dos melhores musicais de todos os tempos, envolvendo questões muito profundas do ser humano, sexualidade e amor.

E cadê a ligação com a tal filosofia? É que esse mito saiu do “Banquete De Platão” – aplausos!!!

Vamos entender o “Mito De Andrógino” sobre a origem do amor

origem-do-amor-resumido

Acima, um resumo do mito bem resumidão mesmo para vocês entenderem do que ele fala. De todo modo, se tiverem um tempinho acho que vale muito a pena acessarem esse link aqui , do site A Mente É Maravilhosa, para ter uma elucidação mais clara sobre ele, o artigo está bem completo e bem escrito.

De qualquer forma, assistindo o vídeo depois desse resumo creio que dá para captar a mensagem linda que esse mito passa. Minha intenção era deixar aqui o trecho do filme, com Hansel cantando com sua banda, entretanto cheguei no fundo do poço procurando na internet um que tivesse a legenda em português e nada dele. Então vamos ouvir a música legendada com uma animação – que também não deixa de ser bastante “didática”.

Prestem atenção nesse trecho da música:

A última vez que te vi nós tínhamos acabado de nos dividir em dois, você estava olhando para mim, eu estava olhando para você. Você tinha um jeito tão familiar, mas eu não pude reconhecer porque você tinha sangue em seu rosto e eu tinha sangue em meus olhos. Mas eu poderia jurar, pela sua expressão, que a dor em sua alma era mesma que na minha. É a dor que corta uma linha reta através do coração, nós chamamos de amor. Nós envolvemos nossos braços um no outro, tentando juntar-nos de volta. Estávamos fazendo, fazendo amor.

Mas afinal, o que é o amor?

Achei simplesmente fantástico pensar no amor dessa forma. Depois de conhecer o mito e, ao ouvir esse trecho da música, a mensagem toca fundo, fundo mesmo. A gente sente que o amor é esse sentimento de olhar para o outro com uma familiaridade estranha, como se já tivessem uma ligação muito mais forte de vidas, mesmo sem compreender como podemos sentir essa familiaridade e cumplicidade por alguém que entrou na nossa vida a apenas uma determinada altura. É esse sentimento de se olhar nos olhos e ler uma dor que já não está mais lá, porque agora, juntos, vocês se sentem completos e plenos.

origem-do-amor

Quando falamos em alma gêmea é importante não confundir isso com equivalência de pensamentos, virtudes ou personalidade. Desacredito que duas pessoas precisem ser tão parecidas para o amor dar certo. A verdade é que, pensando através do olhar desse mito, sua alma gêmea é justamente aquele que vai te fazer se sentir inteiro porque a sensação que se tem a partir do momento em que se encontram é que nada, absolutamente nada mais lhe falta para ser feliz. É plenitude.

Um beijo enorme e o desejo sincero de que todos possamos nos sentir assim, completos 🙂

 

4 Respostas
  • Luba
    novembro 27, 2016

    Linda definição Chan…

  • Heber Costa
    novembro 28, 2016

    Lindo é apelido de quem não consegue se expressar mais do que essas meras palavras, esse mito dos gregos é fantástico assim como todos os outros mitos, eles eram muito a frente de seu tempo, e quem pode afirmar que esse mito é somente mito? dizem alguns que são a representação do real, parabéns Chan pelo excelente post.

  • Dani
    dezembro 6, 2016

    Adorei! Amor é como um elo, que se entrelaça pela força do destino! Bjs!

  • Rosicler Boeing
    janeiro 4, 2017

    Quando vi esse vídeo pela primeira vez há muito mais de 10 anos atrás, me encantei com a definição, com o mito e com a banda! São formas de ver ou explicar sentimentos tão complexos.

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *