Compartilhe

O Natal, o fim de ano e as andanças pelo centro de São Paulo

por

 Ah, o Natal e todo o amor que ele carrega

Esse será o primeiro Natal que iremos passar de apê novo e como tanto eu quanto o Lucas gostamos muito dessa data, estamos empolgadíssimos com o fim de ano. Infelizmente não chegamos a um acordo que agradasse aos dois em relação às comemorações de Natal, mas independente disso queremos a casa com tudo o que a data pede: luzinhas, árvore de Natal, Papai Noel e muito amor.

o clima de natal

O desacordo sobre as comemorações de Natal

Não estou querendo causar a terceira guerra mundial lá em casa, juro. Mas vou levantar uma polêmica aqui com vocês. Como nem tudo são flores no que diz respeito à vida a dois esse ano em casa foi difícil chegar a um acordo sobre como seria o Natal.

Todo ano nos dividimos: a véspera e ceia na família dele e o almoço no dia 25 com a minha. Neste ano, diferente dos outros, queríamos fazer as comemorações em casa, justamente porque nunca tínhamos tido nosso próprio cantinho.

Mas para ele a tradição na família requer que ambas as datas sejam comemoradas na mesma casa, por conta de logística. Para mim, a casa não importa: importante é confraternizar com os queridos. Acabamos tendo que deixar o desejo de fazer as festas em casa (já que ela ainda não é grande o suficiente para juntar as duas famílias) porque, depois de muito blábláblá, não chegamos em um acordo.

Acredito que muitos casais também passem pelo que passamos: um período de adaptação quando resolvem “juntar os trapos”. Nessa fase é preciso se ajustar aos costumes, tradições e manias de cada família – afinal, quando casamos (no nosso caso ainda só nos “juntamos”) com alguém ganhamos o “pacote” todo.

Cada família tem as suas particularidades e o bacana é procurar fazer parte de tudo isso na medida do possível. Mas vale lembrar que a partir do momento em que você decide dividir sua vida com alguém, vocês passam a construir também a sua família, o seu “núcleo central”, que faz parte de outras duas famílias – a sua e a dele(a) – maiores.

Assim as famílias crescem e isso requer, como já falei, adaptação. Vocês dois vão, pouco a pouco, criar os seus costumes, suas próprias tradições, modificar hábitos e inventar moda. Às vezes isso vai casar perfeitamente com as famílias de vocês e por vezes não, irá sair do lugar comum.

Natural, porque agora vocês precisam escrever a sua história. O importante é evitar a fadiga e- quando não há acordo nas opiniões – encontrar um lugar no meio do caminho que pode não ser perfeito para ninguém, mas também não irá ferir o que é importante para você ou para o outro.

Gostaríamos de saber como os outros casais se dividem nas comemorações de final de ano e se já passaram por essas dificuldades. Conta para a gente:

– E o seu Natal, como ficou depois que “juntaram os trapos”?

Depois de um acordo sobre o desacordo, vamos entrar no clima natalino

Adoro montar árvore, encher tudo de luz, escolher os presentes (só não gosto da fatura do cartão de crédito de janeiro, nunca) e planejar a ceia. Com o natal chegando, nada melhor do que quase morrer pisoteado na 25 De Março, certo? Bons preços e muita opção de presente e decoração. Parece brincadeira, mas eu realmente acho que vale muito a pena dar uma passada por lá.

Claro, se você puder se planejar pode adiantar as comprinhas do Natal para evitar a muvuca, mas se não der sem problemas: arrume um(a) companheiro(a) que seja “pau para toda obra” e um espírito aventureiro que tudo dá certo!

Nessa sexta-feira fomos até lá: compramos presente para as crianças, a decoração da árvore, luzes e enfeite de porta. De quebra passamos na Zona Cerealista – que eu amo e prometo um post todinho só para ela logo mais, e na rua Paula Sousa, onde dá para encontrar tudo de cozinha.apetrechos de natal

Admito que depois de toda essa peregrinação, sempre bate a dúvida: será que deveria mesmo ter ido de metrô? É maravilhoso porque dá para fugir do trânsito e ganhar tempo, mas depois das compras sempre voltamos para lá de carregados, rs.

Aqui em casa montamos a árvore ao som do Jason Mraz – e teve até a música do casal!!! Semana que vem conto para vocês sobre isso. Duas taças de vinho para cada um, uma pizza (regime em final de ano passa meio distante) e bagunça feita! O clima foi gostoso demais e a trilha só nos fez lembrar quem somos e para onde estamos caminhando juntos.

Olha só como ficou nossa bebezinha (eu sei, isso não é um pinheiro) natalina. Com criatividade dá para fazer muito fru-fru, basta carinho na hora de montar a árvore e pensar no que a data realmente significa.montando árvore de natal

O Natal não é só gasto no cartão de crédito

Vale lembrar-se do real significado do Natal na hora que o final do ano vem chegando, tenho certeza que ao respirarmos antes de sair torrando o cartão de crédito, tudo fará mais sentido e a data sem dúvida será comemorada com outro sabor.

Não importa se você é religioso ou não: católico, espírita ou budista. Para mim o Natal é recheado de confraternização: estar com a nossa família mais próxima, aqueles que realmente fazem a diferença na vida, no dia a dia.

Quem nos ensinou o significado de partilhar, do amor incondicional, da superação dos problemas e nos moldou as arestas: nos fez fortes e nos ajudou, através da convivência, a criar os valores que temos hoje – que acredito piamente ser uma das coisas mais importantes que carregamos conosco. Ninguém nos tira o respiro de alívio por trilhar nosso caminho de alma leve por andarmos firmes diante do que cremos que é certo. Não é?presentes de natal

Tendo lembrado disso, aí sim vale usar o cartão de crédito para presentear à quem a gente ama com verdade 😉

Os pontos altos do passeio no centro

  1. Comida Árabe: Há milhões de pequenos estabelecimentos especializados no entorno da 25 e do Mercadão. Indicamos o Ponto Árabe, bem em frente ao mercado. A comida é de primeira e dá de 10 em muito restaurante bacanudo na região nobre de São Paulo. Tem que comer: A coalhada seca. A melhor que já comi – textura e sabor sem igual, dos deuses! De todo modo, para quem não vai até lá e bateu a vontade de comer, indico a marca própria do restaurante SAJ. A coalhada dá um belo caldo e eles tem um homus com cebola caramelizada surpreendente – já encontrei no Pão de Açúcar.
  2. Degustar frutas no Mercadão: Comemos, até nos empanturrar, todos os tipos de frutas exóticas por lá. Os vendedores são ótimos e te deixam provar de quase tudo: limão doce, o primo chique do maracujá que já vem docinho e o “the very best” tâmaras com morangos. Juro, parece morango com chocolate – só que melhor.morango-com-tamara
  3. Central do Sabor na Rua Paula Sousa: Para quem gosta de doces a loja é um paraíso, tem de tudo para fazer e também coisas prontas. Foi lá que encontramos os xaropes que são utilizados nos chás do Outback. Ponto para o de cranberry, que amo. Levamos também um de avelã que fica delicinha com café (vamos fazer uma pausa para os xaropes em um outro post recheado de idéias para vocês testarem).
  4. Vinhos baratos na Bruck (também na Paula Sousa): Essa lojinha possui cestas variadas e elaboradas de vinhos e produtos finos, além de promoções fantásticas da bebida e outros itens como frisantes. Saímos de lá com 8 garrafas, de 10 a 15 reais cada – já provei um deles e é gostoso.

    Vinho Francês na Brucks

    Vinho Francês na Brucks

  5. Zona Cerealista: Como já disse, esse trecho do centro merece um post dedicado inteiro a ele. Mas o melhor: alguns estabelecimentos aceitam o nosso famoso VA. Compre queijos, grãos, produtos naturais, TU-DO por um preço bem camarada. Encontrei óleo de côco de 500ml por R$22,00, damascos e nozes pela metade do preço de mercado. Sempre que vou lá me sinto no céu J

Bom passeio e boas festas a todos. Espero que os tenha convencido a se muvucar um pouco por lá, pode ser bem divertido!

3 Respostas
  • Lara
    dezembro 5, 2016

    Adorei!!! Post super completo! Aqui tmb rola discórdia em relação às datas do filho ano… Acho q é assim mesmo… E amei as dicas do centro!!! Mais posts com essas dicas espertas 😉 pleeease

  • Rosicler Boeing
    dezembro 6, 2016

    O lance é dividir, natal com uma família, ano novo com outra, dia 24 com uma, 25 com outra, inverter no ano seguinte e agradar a todos! Quero comer essa coalhada!!!

  • Roberta
    dezembro 6, 2016

    Amigaaa arrasooouuu, amei o post, amei o blog!!!!

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *