Compartilhe

5 Filmes leves sobre o amor e suas músicas incríveis

por

Amados! O post de hoje é uma lista com filmes que valem muito para uma “sessão cinema” em casa com o amado. Com toda certeza irão render leveza e boas risadas ao seu dia. No final disponibilizei uma playlist para vocês poderem ouvir as músicas desse post (se quiserem vale dar o play enquanto leem) 😉

De Repente é Amor – Brighter Than Sunshine (Aqualung)

filme - de repente é amor

O filme é o melhor e mais leve filme de comédia romântica de todos os tempos – de longe nosso favorito.

Entre idas e vindas e muitos desencontros, Oliver (Ashton Kutcher) – um cara todo certinho que busca sucesso profissional, uma vida bem planejada e o amor de sua vida – e Emily (Amanda Peet) – uma garota espontânea que deixa a vida seguir livre e sem regras – acabam se atraindo. Mesmo completamente incompatíveis a vida traça novos encontros para os dois durante 7 anos até que ambos precisam descobrir que “De repente é amor”.

A música do casal fica por conta do Aqualung com “Brighter Than Sunshine”. Dá só uma olhada nesse trecho da música logo abaixo. Fala exatamente desses encontros e desencontros que parecem coisa de destino, na qual nenhum dos dois – tampouco a maioria de nós – acredita e, no entanto, parece estar sempre trazendo um para perto do outro até que percebam que, talvez, o que eles sentem é realmente amor.

É engraçado, porque meu encontro e do Lucas no navio (quando nos conhecemos) foi surreal. Depois disso tivemos muitos desencontros mas parece que o destino conspirou a favor. Até hoje não sei dizer se acredito em destino, mas de vez em quando dá para desconfiar!

“I didn’t believe in destiny, I look up you’re standing next to me, what a feeling.

What a feeling in my soul, love burns brighter than sunshine” (Aqualung).

Juntos Pelo Acaso – For You Now (Bruno Merz)

filme - juntos pelo acaso

Holly (Katherine Heigl) e Eric (Josh Duhamel) são amigos muito próximos de um casal, e, após um primeiro encontro desastroso eles passam a se odiar. Com a notícia de que serão padrinhos do bebê de seus amigos eles passam a ter que conviver. Porém, com a morte do casal a guarda da criança fica com eles, que precisam morar juntos para não perderem a nenê.

É divertido e apaixonante ver como eles fazem a relação dar certo em nome de um amor muito maior: sua afilhada. É um filme fácil de assistir que nos mostra, claro que com uma dose de tragédia, que ao olhar para a mesma direção e buscar superar as adversidades de mãos dadas nós crescemos e fortalecemos nossas relações, deixando para trás o que não nos cabe mais. A música é tão apaixonante quanto o filme: For You Now.

“I can see, I can see the strength there inside you.

Calling you, come away to where you’re bright eyed and hopeful” (Bruno Merz).

Acredito que é justamente o que acontece na vida real. Quando optamos por enfrentar a vida com alguém com maturidade só temos a crescer ainda mais. Além disso, vale dizer: relacionamentos profundos e verdadeiros dão sim trabalho de vez em quando, porque o ser humano é complexo, vamos combinar.

Mas se queremos algo além da superfície me arrisco a dizer que vale a pena esse “trabalho” de ajustar as arestas ao invés de trocar de parceiro em nome de falsas convicções ou mesmo do orgulho mal utilizado – me orgulho muito mais em poder dizer que aprendi algo com o Lucas do que dizer que bati o pé porque “quem manda aqui sou eu”.

500 Dias Com Ela – Sweet Disposition (Temper Trap)

filme - 500 dias com ela

Essa é daquelas comédias “românticas” atípicas. Isso porque não adianta assistir o filme esperando pelo típico final Hollywoodiano onde tudo acaba em beijos, casamentos e felicidade eterna. Mas é um filme muito legal e com um atrativo que faz nossos olhos brilharem: uma trilha sonora impecável (é o primeiro filme em que o diretor de vídeo-clipes musicais Marc Webb se arriscou).

A história é sobre os 500 dias que Tom (Joseph Gordon-Levitt) passa com Summer (Zooey Deschanel). A princípio a maioria das pessoas vê a Summer como uma tremenda filha da puta e o Tom como um coitadinho. A verdade é que se você assistir o filme, que é uma história SOBRE o amor e não DE amor, de cabeça aberta vai perceber o seguinte:

O Tom era um romântico com altas expectativas em relação ao amor enquanto a Summer não. É um filme sobre expectativa x realidade. Isso pode ser bem útil para nos lembrar de não criar expectativas no amor e encarar a realidade sem maquia-la – o que com certeza coloca nossos pés no chão com grandeza. Simplesmente ame com a “Verdade Nua a Crua” (esse é o próximo filme da lista).

As pessoas passam pela sua vida e algumas, independente de permanecerem nela ou não e do quanto te machucam ou te fazem feliz, podem te ensinar coisas grandiosas ao fazerem você se autoanalisar com as situações geradas por esses breves (ou não tão breves assim) relacionamentos. Aproveite!

Ah sim, como filmes não são iguais novelas nem sempre os casais tem uma música tema. Nesse caso, acho que “Sweet Disposition”do Temper Trap, é uma das músicas top do filme – com a mesma pegada dele e uma letra que vai bem de encontro com o que ele passa.

“A moment, a love, a dream aloud, a kiss, a cry.

Our rights, our wrongs” (Tempter Trap).

A Verdade Nua e Crua – Pocketful Of Sunshine (Natasha Bedingfield) e Hot N Cold (Katy Perry)

filme - a verdade nua a crua

Abby (Katherine Heigl) é produtora de um programa de televisão super conservadora. Quando seu chefe “rouba” da concorrência o Mike (Gerard Butler), do programa “A Verdade Nua e Crua” ela se vê obrigada a conviver com ele: um cara machista e grosseiro que é especialista em revelar o que – realmente – atrai os homens nas mulheres. Para provar que o papo dele é uma furada (ou nem tanto assim) ela aceita que ele passe a instruí-la sobre como conquistar o vizinho.

O resultado vocês já devem imaginar. De todos os filmes da lista esse é um dos mais engraçados. Não tem grandes lições sobre vida e amor implícitas, mas vale para dar boas risadas embolada com o amor no sofá.

Nessa de amor e ódio que rola entre os dois, há duas músicas que destaco. Para a parte do romance “Pocketful Of Sunshine” da Natasha Bedingfield e para a guerra travada entre eles “Hot N Cold” da Katy Perry.

Mesmo Se Nada Der Certo – A Step You Can’t Take Back (Naya)

Longa pausa para esse filme. Delicioso de assistir com o home ligado porque ele é todinho cheio de boas músicas e performances, aliás, é um filme despretensioso que tem toda sua história girando em torno de música.

Os protagonistas não são um casal, mas nos ensinam muito sobre o amor e transformação interna. Na trama um produtor musical (Mark Ruffalo) que acaba de perder o emprego tem uma epifania ao ver Gretta (Keira Knightley) cantando “A Step You Can’t Take Back” em um bar – a versão dessa música no filme é interpretada pela própria atriz. Com uma proposta e tanto os dois passam a fazer música e vida em Nova Iorque e aprendem muito um com o outro nessa caminhada.

Assistam! Para quem gosta de música acredito que este vai ser o preferido da lista. Até porque os personagens são de “carne e osso”, nada do que estamos acostumados a ver na maioria das comédias melodramáticas. Mesmo com a trilha impecável do “500 Dias Com Ela”, esse filme nos atrai mais quando pensamos em música porque é completo – além de girar em torno da música, tem boa trama, boas performances e fotografia incrível. Vale muito a pena!

 

 

As músicas dos filmes para vocês se deliciarem

Como falei no início do post, deixo vocês com uma play com as músicas citadas no post para entrarem no clima e curtirem bastante. Mais para frente alguns desses filmes renderão posts só deles pela trilha toda. Sempre falo que filmes e séries são ótimas fontes para descobrir música nova e boa, artistas que não vivem nos hits das rádios, mas por inúmeras vezes tem muito mais qualidade musical, só não são tão “pops”. Vale dar uma bela fuçada por essas descobertas.

Um grande abraço!

 

 

1 Resposta
  • Lara
    dezembro 20, 2016

    Eu assisti todos os filmes citados 😍😍😍

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *